A arte sem fronteiras!

SOAL 2015 – A arte sem fronteiras!!

Desde os primórdios da historia da humanidade, o convívio com a arte permeia o desenvolvimento com o individuo. Através da arte, o ser humano relaciona-se com os demais. Independente de suas raízes culturais, a arte exprime sua sociedade, no bem e no mal, retratada sob a perspectiva de um artista e vislumbrada pelo olhar coletivo. Através do intercambio entre artistas de distintas origens e culturas, o principio de liberdade revela-se como fonte de diversidade e sua prova de independência.

Sob este aspecto, o texto “Em defesa da liberdade de expressão artística” do catalogo de nosso 2° Salão de Outono da America Latina-SOAL 2014 pode ser considerado premonitório.
Foi pela liberdade de expressão que no dia 7 de janeiro de 2015, em Paris, Cabu e Wolinski- dois cartunistas do jornal satírico Charlie Hebdo- padrinhos das duas ultimas edições de 2013 e 2014 do Salon d’Automne de Paris, pagaram com suas vidas…
Abrimos nosso 3°Salão de Outono da América Latina, prestando nossa sincera homenagem a eles, expondo as capas dos catálogos da 112° e 113° edição do Salon d’Automne realizadas respectivamente pelos dois, reafirmando nossa indefectível vontade de defender a liberdade de expressão.

Nosso conturbado cenário histórico atual, se reflete naturalmente no fazer artístico contemporâneo, onde os muros de distinção de técnicas, temas e conceitos, naturalmente veem abaixo. Acreditamos ser inconcebível classificações desse porte nas artes nos dias de hoje…a exemplo dos salões acadêmicos que barraram os artistas modernos.
A arte, no exercício pleno de sua liberdade de expressão, é eclética, portanto não admite mais barreiras.

Assim como os modernistas reivindicavam por uma maior autonomia e essencialismo da arte, a arte conceitual foi um modo de ação ” guerrilheiro” contra os poderes então estabelecidos, manifestos na forma de um modernismo institucionalizado, tanto no âmbito do mercado quanto das universidades. Hoje, numa época de globalização, graças a este legado, as fronteiras entre as diferentes formas de expressão artística tornaram-se indistintas.

Justamente acreditando nesta ausência de fronteiras, fomos convidados a participar da 3° Bienal de Arte e Literatura do Cairo em fevereiro 2014 com uma delegação composta de 7 artistas, sendo Eliana Minillo, artista convidada de honra; e tendo a participação também de Walter Miranda, presidente da Nova APAP e, Angela Barbour, gerente da Galeria Marta Traba do Memorial integrando esta delegação.
O Presidente deste evento, Abdelrazek Okasha é convidado de honra desta nossa terceira edição de 2015, que homenageia Jean Desvilles, vice-presidente do Salon d’Automne de Paris.

Desvilles segue sendo um explorador incansável dos campos artísticos, passando da cenografia ao desenho, do desenho ao cinema, do cinema à pintura; dos ballets de Maurice Béjard ao atelier de André Lhotte, do surrealista Max Ernst à Pablo Picasso.
Nossa 3° edição do SOAL exibe com orgulho uma pequena seleção de seus filmes, assim como de sua pintura de veia surrealista, convivendo em harmonia ao lado do expressionismo de nosso amigo Abedelrazek Okasha.

Gostariamos de registrar aqui, mais uma vez, nossos mais sinceros agradecimentos aos nossos parceiros da Fundação Memorial da America Latina que, acreditando na importância da continuidade de nosso Salão, mais uma vez abre suas portas e seus braços para nos acolher na figura de seu Presidente, João Batista de Andrade; de seu Diretor Cultural, Felipe Macedo; de Angela Barbour, gerente da Galeria Marta Traba, para o sucesso deste evento.

Fato comprovado, dois anos depois de seu nascimento em 2013, o Salão de Outono da América Latina já é visto como uma das grandes exposições internacionais de artes visuais de São Paulo. Neste ano de 2015, foram selecionados pelo juri 250 obras, de 174 artistas de 24 diferentes nacionalidades. Os 107 artistas brasileiros que integram esta mostra são originários de 70 municípios- de Manaus à Porto Alegre- comprovando sua solida base artística no Brasil.

Obrigado aos artistas, este Salão existe sobretudo por sua persistência e coragem.
Viva a Arte, em todas as suas formas de expressão.

Claude Martin Vaskou e Eliana Minillo,
Curadores do SOAL 2015
.

(fotos: Melkphoto, Claude Martin Vaskou, Eliana Minillo, Salon d’Automne de Paris)

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.